quarta-feira, dezembro 27, 2006

Adeus 2006. Venha o 2007!

Definitivamente 2006 foi um bom ano! O próprio blog conta todas as histórias e estórias que se passaram durante este ano.

A entrada no novo ano teve um nome associado: Miguel! A alegria dos Ferreiras (e não só). A minha alegria pelo convite que me foi endereçado no dia 8 de Janeiro. Ser padrinho não é para qualquer um. Não nos faz pessoas mais importantes nem mais ricas. Antes nos faz pessoas especiais. E mais responsáveis. Porque na verdade temos influência na educação de uma criança. E, como Cristãos, devemos educá-los perante os valores da Vida, do Respeito e do Amor. Isto de ser padrinho não é fácil. Não é só dizer que temos um afilhado, que lhe damos miminhos, beijinhos e prendas. Até porque não é isso que ele mais precisa. Felizmente os pais podem estar muito tempo com eles. E Deus queira que assim continue a ser! O padrinho é uma figura importante, mas é bom que esteja na sombra dos pais. Na sombra. Não na ausência...

Neve! O 2006 teve neve em Évora! E que neve! Para quem está habituado a ver neve na televisão, o dia 29 de Janeiro foi indescritível. Lindo, único e eterno! Jamais esquecerei. Jamais esqueceremos aquele dia! E a universidade vestida de branco é inesquecível...

2006 teve (finalmente!) a conclusão do Mestrado. É bom terminar um passo que se começa, chegar ao fim de uma caminhada. Que se faz de bons e maus momentos, mas que tem um grande caminho árduo, espinhoso e de solidão, chamado dissertação. Caminho que chegou ao fim com aproveitamento.

Escócia. Luz solar entre as 4 da manhã e as 11 da noite! Um cheiro característico... Em trabalho, mas com tempo para descontrair... A Escócia foi também inesquecível. O início de um Verão muito bom. Começou na Escócia, continuou com o Mundial da Alemanha (4º lugar!), seguiu com medalhas no atletismo e prosseguiu com umas belíssimas férias.

O Verão terminou em grande: com o meu primeiro herdeiro a caminho. Foi uma confirmação espantosa! E aquilo que uma ecografia pode fazer... É impossível ficar-se indiferente a uma criança que, com pouco mais de 8 semanas, mexe os pés... É o milagre da Vida! E se tive que aprender a ser padrinho (algo que continuo a fazer), alguns meses depois tivemos (eu e a Carlita) que escolher quem iria ter esse papel com o nosso filho. Não foi fácil. Nem o padrinho nem a madrinha. Como disse atrás, o padrinho tem um papel muito importante. Não no frontoffice, mas no backoffice. Não é o pilar da educação (eu pelo menos não desejo ser). Mas, e falo por mim, vejo nos padrinhos exemplos do que quero (e não quero) ser. E foi também pensando nisso que escolhemos os padrinhos para o nosso filho. Não que o Ricardo ou a Carla sejam pessoas perfeitas (felizmente que não são, senão o meu filhote nunca iria ligar muito ao que dizem o pais, preferindo os exemplos de perfeição que seriam os padrinhos); não que não houvesse outras pessoas que servissem de modelo, porque as há, e vão servir de modelo mas com outros papéis; mas a verdade é que eu gostava de ter um pouco do Ricardo e um pouco da Carla e sei que, com aquilo que os pais lhe vão ensinar e o que os padrinhos lhe vão ensinar, teremos um ser humano mais completo. E quando a isso juntar ainda o exemplo dos avós, dos tios e demais amigos, então será ainda mais completo.

E veio o livro. Outubro foi o mês do livro. Nada de mais, apenas uma pequena edição da dissertação de mestrado. Mas uma edição com um sabor muito especial.

Estádio da Luz. Estivemos lá! 37065 pessoas, entre os quais eu e a minha mana. Novembro (e novamente em Dezembro, com uma assistência semelhante). Indescritível! E duas vitórias por 3-0.

Sonho: Novembro foi também mês daquilo que espero que seja o início de um sonho porque luto (e que comigo luta a minha mulher) há alguns anos: dar aulas. Um horário pequeno, mas que é o início de algo (como todos nós fomos um dia pequenos…). Dar aulas foi um sonho que deu em realidade. E que tem sido também indescritível!

Dezembro, mês de emoções. Umas más, outras boas. Infelizmente não pude passar a noite de aniversário com a minha irmã e com o meu afilhado (o trabalho assim o obrigou). Mas é reconfortante ver como uma vida que há 15 anos despontou consegue pôr tanta a gente a chorar. Uma vida que tem o meu dedo, que tem o meu quê de personalidade, que tem o meu quê de pensamento... E ver ao mesmo tempo que uma vida que nasceu há um ano consegue pôr tanta gente a sorrir... E quase ao mesmo tempo saber que vamos ter outro ser nas nossas mãos, nos próximos meses, que já tem nome... Que já é pessoa! Que já sente o pai e a mãe…

E chegou o Natal. O Natal que nos deu duas prendas antecipadas. Uma amarga e outra doce. E a doce soube tão bem... 19 de Dezembro. Um gesto tão pequeno mas que me deu tanta alegria... Poder estar uma tarde com o meu afilhado, vê-lo rir, vê-lo dormir, vê-lo brincar... Uma tarde do ano poder dizer aos pais: “estejam descansados, ele está bem entregue”. Que também merecem... É doce. E continuo a dizer, foi a melhor prenda deste Natal!

É impossível um ano com um afilhado, com neve, com um Mestrado, com uma viagem à Escócia, com um 4º lugar no mundial, com medalhas no atletismo, com umas grandes férias, com um filho, com um livro, com idas ao Estádio da Luz e com o início daquilo que espero que seja uma carreira a dar aulas ser um mau ano… Definitivamente 2006 foi um bom ano!

Mas não se consegue ter um ano tão bom sem companhia. Muitas pessoas foram aqui referenciadas, como tendo ajudado a completar o ano de 2006. Mas há alguém que merece todas as palavras, todo o suor e todas as lágrimas. É ela que passa horas a fio à minha espera na cama, até que eu me deite (isto é simplesmente verdade…). É ela que me atura e me pega ao colo quando eu preciso. É ela que literalmente me alimenta (só falta mesmo pôr-me a comida na boca, e às vezes até isso quase que faz). E está por trás de tudo de bom que acontece na minha vida e que aconteceu este ano. Bom, não fez cair a neve, mas esteve a brincar lá comigo; não fez com que Portugal ganhasse os jogos, mas festejou comigo; não esteve no Estádio da Luz… mas acolheu-me com um abraço quando voltei. De resto está lá em tudo. E é bom saber que se chega a casa e se tem um colo e uma pessoa quente para nos acolher… Porque as noites são frias e as viagens de Beja são longas…

E está se calhar na altura de revelar algo. Lembram-se do que eu disse que estará escondido nos agradecimentos da minha dissertação? Voltem ao post do dia 20 de Março com o título de “Agradecimentos”. Ou peguem no livro se o tiverem à mão. Juntem as primeiras letras de cada um dos 10 parágrafos. E está lá um agradecimento muito especial! Que o fiz há cerca de dois anos (antes de me casar). Que faço todos os dias. E que volto a fazer agora! Porque definitivamente 2006 foi um grande ano! Mas que sozinho seria impossível...

Porque 14 é um número muito especial: as 14 fotos do ano 2006


A ordem não é muito relevante... porque são as 14 fotos do ano... tenho pena de não colocar as outras 1357543853058 fotos lindas... mas paciência! Se quiserem lembrar mais momentos bonitos de 2006, então consultem o arquivo do blog! Feliz 2007 para todos!

domingo, dezembro 24, 2006

Um Santo Natal!


É este o verdadeiro Natal que interessa. Não é que nos outros anos não se tenha vivido com isto na consciência. Não quer dizer que precisemos de chegar aos 25 ou aos 27 anos para entender o que verdadeiramente é o Natal. Sabemos bem o que é o Natal, sabemos o significado do Natal e vivemos o Natal muitas vezes na nossa família, para além do dia 25 de Dezembro.

Mas este ano o Natal é especial. Este ano o nosso Natal também tem um menino! Ainda na barriguinha da mãe, no quentinho. Mas já é o nosso menino! É a nossa prenda! Volto a dizer o que já referi num post anterior: tivemos outra prenda antecipada - a tarde com o Miguel. E depois temo-nos um ao outro (eu e a Carla) e temos a nossa Família e os nossos Amigos. Verdadeiramente estas são as nossas prendas!

E para além destes dois meninos, temos um terceiro: o Menino que amanhã chega. E ao qual nós nos vamos entregar. Não que nos outros anos não nos tenhamos entregue. Mas este ano vai ser no verdadeiro sentido do termo... Porque temos Confiança! Porque temos FÉ! E porque alguém nos leva ao colo nos momentos mais difíceis das nossas vidas... E porque com o que nos aconteceu, sabemos cada vez mais que a fé nos homens é vã... a fé em Deus, essa sim, nos pode levar a algum lado!

Uma porta se fechou; a certeza que duas ou três se vão abrir! Aliás, algumas já se abriram (alguns corações). E porque temos a oportunidade de gozar o resto da gravidez com muito mais tempo uns para os outros... E porque, ironia das ironias, ainda nos vão pagar para gozarmos esse tempo... E porque o nosso filhote se diverte imenso a dar pontapés quando o pai lhe põe a mão em cima... Que mais podemos pedir? Como diz a publicidade: "Há coisas incríveis, não há?"

Um Santo Natal para todos!
Paulo, Carla e Rui Miguel

terça-feira, dezembro 19, 2006

Carinha laroca

Tive a oportunidade de ter uma excelente prenda de Natal este Domingo. Enquanto o papá e a mamã do Miguelito foram passear (que também têm direito) e comprar umas prendinhas (dizem eles...) e deixaram comigo e com a Carlita a própria prenda, que é o Miguel. Estivemos uma tarde inteira juntos. Fomos beber café, estivemos a brincar com outro amigo bebé (que é mais velho que o Miguelito um dia...) e depois viemos para casa comer um iogurte. Até que o João Pestana chegou... Veio sem birras, e sem nada. Só chegou! E o Miguelito esteve a dormir no sofá. Depois de acordar estivemos a brincar com revistas, com uma bola e a fazer parvoíces, pois então... De onde saíram estas duas pérolas! Qual delas a mais fofa... O ambiente só ficou um bocadinho pior quando veio a sopa... Ainda comeu qualquer coisa (frango, esparguete e fruta, porque de sopa nada...)... E depois o papá e a mamã vieram jantar connosco e o Miguelito teve que ir embora. Cá por casa ficamos à espera que ele volte...


domingo, dezembro 17, 2006

Rui Miguel

Peço desculpa por colocar aqui um post pornográfico... mas fui obrigado! Ainda consegui colocar uma bolinha ao canto... É o RUI MIGUEL!

quinta-feira, dezembro 14, 2006

PARABÉNS FOFINHO!

Definição de padrinho:
do Lat. patrinu, dim. de pater, pai
s. m.,
testemunha de baptismo, casamento ou duelo;
paraninfo;

o que acompanha o doutorando quando este recebe capelo;
fig.,
protector;
patrono;
Alentejo,
boi velho e manso que se utiliza para se amansar os novos.

Definição de Afilhado:
de afilhar
s. m.,
o menino ou homem em relação aos seus padrinhos ou protectores.

Miguelito fofinho,

Faz hoje um ano, mais ou menos à hora a que este post vai ser publicado, que me ligaram para o telemóvel: ao que parecia estavas a querer sair do quentinho… Resultado: fizeste com que alguns de nós tenhamos ido para o frio, esperar por ti. E, feito teimoso, só saíste a meio da manhã (hoje já não interessa o facto de que, provavelmente, te obrigaram a ser teimoso…).

Foi uma noite longa… O teu Papá, o teu tio (na altura ainda era só tio) e o teu avô lá foram passando a noite, melhor ou pior… O teu Papá a certa altura fechou os olhos; eu ainda me deitei uns minutos em cima dos bancos do hospital (naquele dia eram confortáveis, acredita…). Passámos talvez uns minutos pelas brasas. Mas não dormimos. Daí que me orgulhe de dizer que aquela foi a minha primeira directa. E única até ao momento.

É sempre bom relembrar o passado. Mas também temos que viver do presente. E o dia de hoje é um dia especial! Ainda não temos recordações e vivências suficientes para repetirmos a dose de anteontem… No dia dos anos da tia Carla várias pessoas choraram… se calhar o único a rir-se até foste tu… Vou-te contar um segredo para não dizeres a ninguém: só chorámos porque já aturámos a tia Carla durante 15 anos e ainda temos um grande martírio pela frente… A ti não!

Tu só estás connosco há um ano. A única pessoa que está contigo há mais tempo é a tua Mamã… O teu Papá já deve estar a dizer que também estás com ele há mais tempo… mas aqui há que reconhecer uma coisa: as Mães são privilegiadas… e eu também já sei daquilo que falo… elas estão com vocês, bebés, há mais que nós… Mas também não lhes digas isto, para elas não ficarem muito convencidas…

Voltando à conversa: há um ano que estás connosco. E tirando os primeiros dias que foram um bocado complicados, de resto só há boas recordações. Os primeiros miminhos, as primeiras lambidelas na cara ao jeito de beijinho (mais nas mulheres, claro… que tu já és muito esperto…), as dentadas no nariz… tudo nos faz rir (é claro que me refiro às dentadas porque nunca levei nenhuma… e posso rir-me dos outros…). Cuspir sopa também é sempre engraçado… mas não ensines isso ao teu primo!

E as brincadeiras com o cão? Tanta palavra que podias aprender em primeiro lugar… Papá, Mamã, padrinho, Benfica, Macroeconomia, Microeconomia, sei lá! E passas o tempo a chamar pelo cã…

Como vês as recordações são todas boas. É por isso que toda a gente quando ler este post vai rir e não chorar (como fizemos com a tua tia… deixa estar, ela vai dizer que andámos a cortar cebolas…).

Mas e qual é o meu papel no meio disto tudo? Foi por isso que coloquei as definições ali em cima...

Testemunha de baptismo, casamento (paraninfo é o padrinho do noivo; também fui confirmar), duelo ou quem acompanha o doutorando… Para o casamento (se casares) já vais ser tu a escolher; para o duelo não vai ser preciso; para o doutoramento, se o fizeres, já estou completamente passado dos miolos… Para a parte do Alentejo, não vamos ligar… Mas padrinho é mais que isso: é protector! E é o que eu quero ser para ti… E foi por isso que te ofereci logo aquele ursão! Se alguém te fizer mal diz-lhe que ele salva-te! Também foi por isso que te apresentei ao Dogus, porque ele é muito valente…

Reconheço que os últimos meses não têm sido os meses que eu queria, em muita coisa. Queria poder estar mais tempo com a minha mulher; queria poder estar mais tempo para me divertir, para ler e para escrever; queria poder estar mais tempo com o meu afilhado… Mas não tem sido possível… Tão impossível que nem vou poder estar contigo na noite do teu aniversário… Mas é a vida! Pelo menos algum dia o teu aniversário vai calhar num Sábado ou num Domingo (ou talvez eu algum deixe de ter que trabalhar à noite e o que faço de dia seja suficiente…).

Mas de uma coisa podes ter a certeza Miguelito: o padrinho não se esquece de ti! O padrinho vai ter certamente meses em que vai estar mais livre (a começar já por Janeiro); o padrinho vai ter tempo para jogar à bola contigo no teu relvado, assim que te segurares em pé (e para depois partirmos mais um candeeiro ao Papá e à Mamã); o padrinho vai ter tempo para um dia pegar em ti e irmos dar uma “ganda volta”! Para irmos brincar, gritar, pular, saltar e fazer maluqueiras. Os dois sozinhos! E para nos divertirmos a sério. E fazermos coisas de padrinho e afilhado! Porque tu mereces… porque és um fofo!

Hoje é o teu dia. Mas é também o dia do Papá e da Mamã. Com o tempo as pessoas vão-se esquecendo que este dia também é deles. Eles próprios, na sua atitude altruísta, se vão esquecendo que o dia 14 de Dezembro também é deles e vão sempre fazer tudo para que tu passes o dia a recordar que ele é teu. Porque Papá e Mamã também é isso: é esquecer que somos importantes e fazer com que os filhos sejam mais importantes. Porque se esquecem de dormir, porque se esquecem muitas outras coisas para satisfazer o filho. Tudo isto porque sabem dizer SIM… O esforço de dizer SIM é pequeno. Até pode alguém pensar que dizer não é tão fácil como dizer SIM. Mas se assim fosse não tinha til… E os teus pais sabem dizer SIM, a cada dia que passa. E tu és uma prova desse SIM. Tu ainda não sabes falar muito bem, por isso eu tomo a palavra e agradeço por ti: OBRIGADO HUGO e LICÍNIA! Um dia vais ser tu próprio a agradecer. E vais ver aprender que dizer SIM e OBRIGADO são palavras fáceis de dizer, quando temos o coração aberto… Quando recebemos o AMOR no nosso coração. Mas previno-te já afilhado, o mundo não é perfeito… há muitas pessoas para as quais dizer SIM e OBRIGADO é mais difícil do que dizer Microeconomia; há até pessoas às quais é mais fácil dizer não do que dizer SIM…

Mas isto já vai muito grande... Às vezes até me esqueço que tu ainda não sabes ler… Deixa estar, alguém de vai transmitir estas coisas todas… Algumas delas estão-te no sangue! Espero que o OBRIGADO te esteja no sangue; espero que o SIM te esteja no sangue; já agora que no teu sangue também esteja Economia (será pedir muito?). E espero que outras coisas do sangue dos teus pais não passem para ti…

Um grande beijinho de PARABÉNS! Que este seja apenas o primeiro de muitos! E nunca te esqueças de uma coisa: o padrinho NUNCA se esquece de ti!

terça-feira, dezembro 12, 2006

PARABÉNS!!!!!!!!!!!!!!!

E vão 15! Ainda ontem ela era do tamanho de um feijão e já está quase maior que eu… Sinal de que o tempo passa, e passa a correr! É bom quando vemos os outros crescer… em altura, em espírito e em inteligência (hoje é dia de aniversário, não há cá trocadilhos…). Mas também é bom ter sempre uma criança (que sejas eternamente criança) com quem podemos brincar e dizer parvoíces…

Já lá vai o tempo em que nos zangávamos… Agora estamos muito menos tempo juntos, já não há tempo para isso! Pela primeira vez em 15 anos não vou conseguir estar contigo ao jantar, no dia do teu aniversário… Agora o tempo em que estamos juntos é para a diversão! Mas eu relembro algumas das nossas zangas… quando entravas no quarto e fazias que não me vias mas que te desmanchavas logo a rir… quando levaste com uma chinelada na cabeça (juro-te que eu não sabia que aquilo doía tanto…)… sei lá outros quandos…

Mas lembro-me de muito mais… Lembro-me de pequenina começares a torcer pelo Benfica… de festejarmos o campeonato juntos e de irmos há pouco tempo para o Estádio da Luz (algo que vamos repetir, se tudo correr bem, no próximo Sábado…) Lembro-me de acordar contigo a tossir ou mal disposta, ou simplesmente às vezes que ias à casa de banho… Lembro-me de quereres dormir na cozinha junto aos tachos e panelas (para quem não conhece a história, isto é hilariante!). Lembro-me de chorares nos braços do Vitinho e do Hugo… Lembro-me de ouvir a tua conversa… Lembro-me do dia 1 de Dezembro de 2003 (acho que não me estou a enganar no ano)… Lembro-me de tanta coisa…

Cada um dos três irmãos que tenho é uma pessoa especial! Cada um faz-me recordar coisas diferentes. Com o Hugo salta-me à memória a vitória da UEFA em Sevilha, a madrugada de 14 de Dezembro do ano passado ou o dia em que fiquei parvo com o convite para ser padrinho do Miguel; com o Vitor… bom, basta ele dizer bom dia ou boa tarde no Messenger para saber como ele se sente (13 meses é muito pouco tempo, somos quase gémeos!).

Mas para ti, podíamos juntar-nos os três num dia para nos lembrarmos de coisas sobre ti (uma boa ideia para o ano que vem…). Sei que não cometo nenhuma inconfidência em dizer que tu, para além de especial, és também ESPECIAL. E não é só para mim: és também para eles (e para tanta gente mais…).

Nós somos todos, ao mesmo tempo, babosos e choramingas! Babamo-nos pela irmã que temos! Grande, inteligente, forte e decidida! E choramingas, porque nos lembramos de tudo…

Podia escrever toda a noite, todo o dia, coisas sobre ti. Podia ligar ao Hugo, ao Vitor, à Mãe e ao Pai, à Carlinha e à Licínia. Podíamos, cada um de nós dizer o que quiséssemos e nos lembrássemos. Porque no fim tudo iria dar ao mesmo…

No dia a seguir ao meu casamento escreveste o seguinte: “Kia só dizer k kero k sejas mt feliz- eu sei k vais. E mandar-te milhares de beijinhos.”

Eu retribuo-te os milhares de beijinhos (que também te darei pessoalmente). E porque a vida tem muitas coincidências, vou dizer uma frase que digo várias vezes, com muito orgulho: AMO-TE CARLA! Mas que hoje tem um destinatário diferente do habitual: PARA TI MANINHA! A Carlinha grande não se zanga, pelo contrário, concorda comigo. Tanto que, como sabes, te confiamos também o nosso filhote (ou nossa filhota)! Para que quando fizeres 30 anos, seja apenas mais um, em conjunto com o Miguel e com os possíveis irmãos e primos a fazer parte dos que se sentem ORGULHOSOS por te conhecer e por te ter ao nosso lado!

Mais que uma prenda material (que este ano não pode ser muito grande…) deixo-te esta prenda! E um pedido: continua comigo a ser criança!

E PARABÉNS!

quarta-feira, dezembro 06, 2006

O meu pensamento do dia

Quem defende o aborto não precisa de fazer o presépio. O Menino assim não nasce...

sábado, dezembro 02, 2006

Para pensar neste Advento...

Não gosto de pensar que vou falar alguma coisa para alguém sem antes fazer uma pequena preparação (por mais leve que seja). Quer isto dizer que não gosto de ir dar uma aula ou uma catequese sem preparar as coisas. Mas esta semana, em virtude do muito trabalho que tive, isso aconteceu duas vezes: na última aula teórica que dei e na catequese de hoje. Mas por vezes chego à conclusão que às vezes até é o melhor. Não vou falar da última aula, mas sim da catequese de hoje. Mas primeiro quero que saibam que dou catequese a crianças do 4º ano, com 9 anos. Têm muito boa vontade, são extremamente simpáticas, mas têm o problema de serem irrequietas. Nada que não se ultrapasse.

O Advento começou hoje. Sem uma catequese muito preparada, nada melhor que falar do Advento e começar a perguntar coisas aos miúdos. E inspirar que lá de cima a inspiração ajude.

Cada vez mais acho que toda a gente percebe melhor as coisas com metáforas (isto de dar aulas de Economia a pessoas que não têm nada a ver com aquilo puxa pela imaginação). Chegámos à conclusão que o Advento é o período em que temos que nos preparar para receber Jesus. E aqui começam as metáforas. Duas metáforas:
- quando vamos à festa de um amigo nosso, levamos uma prenda.
- quando recebemos um amigo em casa arrumamos o nosso quarto (questão levantada às crianças).

Ora bem, Jesus é o nosso melhor Amigo. Sendo assim, tudo o que fazemos aos outros, devemos fazer ao nosso melhor Amigo. E as crianças perguntam-me: mas se quem faz anos é Jesus, porque oferecemos prendas uns aos outros? É esse o problema... Esquecemo-nos de quem deve receber as prendas. E é simples oferecer prendas a Jesus: Amor aos irmãos, compreensão, reflexão sobre o que fizemos de mal e pedir perdão (a confissão, no fundo). E ao fazer isto estamos a arrumar o nosso quarto para receber Jesus (o quarto onde o recebemos é o coração). É fazer rezamos no Pai Nosso (que devíamos fazer todos os dias): "perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido".

É curioso que depois me lembrei de outra metáfora. Costumamos dizer tantas vezes: se te portas mal o Pai Natal não vem cá a casa. É o mesmo que pensar que se nos portarmos mal Jesus não vem ao nosso coração. É assim tão difícil? A melhor prenda que podemos dar a Jesus é o Amor que damos ao nosso irmão. É claro que as prendas são o reflexo e a materialização desse Amor. E que por si só não têm nenhum mal (o problema não é as prendas, mas o que está por trás delas).

E depois de uma catequese um bocado atribulada, devido ao barulho (lembrem-se que as crianças do grupo são um pouco irrequietas), fomos fazer a oração. Como costume são eles que fazem a oração final. Normalmente eles rezam um Pai Nosso e uma Avé Maria e eu depois dou uma ajuda e agradecemos a Jesus por mais um dia, pelos amigos e pelas coisas boas da vida. E hoje uma das crianças, depois do Pai Nosso e da Avé Maria rezou o seguinte: "Ó Jesus, obrigado por mais um dia. Perdoa-nos por nos termos portado mal na catequese"...