sábado, fevereiro 28, 2009

Tokyo Hotel

Não. Não tem nada a ver com a banda que faz pitas histéricas passar horas aos gritos. Estou num hotel no Japão. Mas que dia!

Autocarro às 8h30; cerca de 1h30 à espera de entrar no avião; 3h de voo até à Alemanha; 4h de escala; 11 horas até ao Japão; 1h à espera do autocarro para o hotel; 1h30 até ao hotel. Façam vocês as contas, que já não tenho cabeça...

Até à Alemanha dormi quase o tempo todo. A escala por lá é que é uma seca. O voo para o Japão, apesar de longo correu bem. Fui à janela, na saída de emergência. O que é que isso significa? Que tenho mais espaço para me esticar que os anti-sociais (que, para quem não sabe, é a malta da 1ª classe - baptizados pela minha irmã). E com televisão para ver o que quero... Vi um filme que nunca tinha visto ("As palavras que nunca te direi") e depois dormi e comi (até nem se come mal).

Estes tipos são muito estranhos... Assim que cá cheguei, fiquei logo chocado: então não é que estes gajos conduzem pela esquerda?!? Para além disso, o roaming não funciona aqui (só em telemóveis 3G); as tomadas são diferentes; falam Inglês mal e porcamente. E ainda por cima olham para nós de forma estranha, como se nós é que fôssemos diferentes! QUEM TEM OS OLHOS EM BICO SÃO ELES!!! Será que não se aperceberam disso?!?

Agora está na hora de ir trincar qualquer coisinha. E depois descansar. Amanhã é um novo dia. E acho que vou dar um passeio aqui nas redondezas...

Beijinhos a todos, do outro lado do mundo!

terça-feira, fevereiro 24, 2009

Há com cada coisa...

Eu bem sei que o principal objectivo dos jornais e das revistas é vender. E que as revistas cor-de-rosa apresentam por vezes títulos sensacionalistasque depois, vamos ver, e não têm sumo. Mas há coisas que são exageradas: matou-o... e ele sobreviveu!!!
(http://noticias.sapo.pt/banca/)

Esta foi uma decisão de úlitma hora do responsável da edição da revista. Em disputa estava esta capa com outras três, às quais tive acesso e que passo a mostrar a seguir:
Já agora, se alguém for ao médico, ao dentista (é um médico mais arrepiante), ao cabeleireiro ou até comprar a revista (a Tânia é pessoa para isso para ganhar o encontro com o Tony...), conte-me a história de como se mata uma pessoa que depois sobrevive. Quanto às outras capas, a solução é simples:
- Gaspar embebedou-se com Eduardo... mas afinal só bebeu água!!! Resposta: porque o Eduardo é muito estúpido!
- Gaspar engravida mulher de Eduardo... mas afinal foi outro!!! Resposta: a mulher do Eduardo vestiu as cuecas do cunhado!
- Gaspar dá um pontapé em Eduardo... mas afinal o pé não era dele!!! Resposta: tinha sido amputado aos 20 anos!

segunda-feira, fevereiro 23, 2009

Notas de 5000...

Já não estou habituado a funcionar com estes montantes... Tenho 7 em casa!

sexta-feira, fevereiro 20, 2009

Parabéns Pedrocas!

E hoje é o dia do Pedrocas! Faz hoje um ano que nasceu o membro mais novo da família Ferreira. E é a ele que hoje dou um grande beijinho de parabéns!

Já alguém falou do coração de um pai esticar. Eu, como pai de um (tio de 2 e padrinho de outro) confirmo. Mas também o coração de um filho tem que esticar... o Pedro só aguenta o nome de Piruças porque não sabe falar! E o Miguel o de Migas porque é muito ingénuo...

Mas isto hoje não interessa para nada. O interessante hoje é que vamos festejar que nem uns malucos, comer e beber até ao fim da festa, por honra do Miguel!

E como formador de Matemática, deixo-vos um enigma. Lá em casa (Tavolante) há dois velhos casados que têm 3 filhos e 1 filha. Um dos filhos é pai de duas crianças, tio de uma criança e padrinho de uma criança e afilhado de uma velha; outro dos filhos é pai de uma criança, padrinho de uma criança, tio de duas crianças e padrinho da mulher; outro dos filhos é tio de 3 crianças, padrinho de 1 criança e padrinho da irmã; a filha é tia de três crianças, madrinha de uma criança e afilhada de um irmão. Pergunta: quantas pessoas há lá em casa? (prometo dar uma resposta certa).

Ah: PARABÉNS PEDROCAS :)

quinta-feira, fevereiro 12, 2009

Assim não chegamos lá!...

As universidades teimam em dar tiros nos pés, na intensa procura de propinas para se financiarem. Desde não deixarem fazer melhorias no próprio ano (não se pagam...), até venderem créditos ao desbarato aos alunos com "promessas" de transferências de cursos, vale tudo e mais alguma coisa. É isso e admitirem alunos a mestrado sem a mínima capacidade para tal. Bem sei que todos devem ter uma oportunidade. Mas se se conhece o passado dos alunos, então há alturas em que tem que se dizer "Não". Porque mais vale perder o dinheiro de uma propina de um ano, a se assistir a coisas escandalosas como esta, vindas de um mestrando licenciado (infelizmente...) em Economia:
...

quinta-feira, fevereiro 05, 2009

E se de repente...

...recebessemos um mail a convidar-nos para fazer o referree de um artigo científico?

Era a última coisa que esperava que me acontecesse neste momento... Sei que para tudo há uma primeira vez na vida, mas nem pensei que uma pessoa como eu pudesse fazer este tipo de coisas (pensei que fossem apenas doutorados). E agora lá vou eu rever um artigo sobre satisfação com a democracia, ligado a políticas ambientais... Isto há com cada coisa!!!

segunda-feira, fevereiro 02, 2009

Estatísticas...

Para quem não sabe, no final deste semestre houve uma ligeira (talvez não...) polémica na universidade por causa das minhas explicações e das ajudas que dou aos explicandos na disciplina de Econometria. Que não estou a ajudar os explicandos, que apenas lhes faço os trabalhos que não aprendem... Agora que acabou o semestre, e que as notas saíram, foi tempo de pegar nos dados e fazer uma pequena estatística.

De todos os alunos que foram fazer pelo menos uma das provas, passaram 32 e chumbaram 26. O que dá cerca de 55% de taxa de aprovação. O que, para a disciplina de Econometria, até nem é mau, quando comparado com outros anos. Explicandos tive 12 e passaram 8, o que dá 66,66% (mesmo assim, áquem do que já se verificou noutros anos, ainda que acima da média). Desses 4, posso ainda dizer que 1 veio a três explicações e outra explicanda não foi fazer o exame de recurso (ainda assim, conto com eles). Sinto-me, por isso, responsável por 25% das aprovações e por 15% dos chumbos. Ora, se são 3 professores mais eu, cada um, em média, fica com 25% dos casos (cumpri nas passagens, nos chumbos melhorei).

Mas como não me interessam só os valores absolutos, dediquei-me a calcular as médias. Dos alunos que passaram, a média foi 11,9. Dos meus explicandos que passaram, a média foi 12. Dos restantes foi 11,875. Muito igual, mas mesmo assim um pouco melhor no meu caso. Em relação aos que chumbaram, a média final foi 4,46 e a "minha" média foi 5,75. Fraca consolação, pois preferia não ter média...

E prossegui. Dos alunos que completaram o processo de avaliação por frequência, no total houve 32. Eu levei 6. Passaram no total 28 (80%) e da minha parte passaram 5 (83,3%). Em relação aos dois exames (épocas normal e de recurso) foram, num total, 32 alunos, 6 dos quais meus explicandos. Passaram 4 no total (12,5%) dos quais 3 são meus explicandos. Ou seja, metade dos meus explicandos levados a exame passaram e 75% dos que passaram são meus explicandos.

Dei-me ainda ao trabalho de, no total dos dois exames, contabilizar as melhores notas. Das notas dos 9 melhores exames, 7 são de explicandos meus (isto acontece porque alguns explicandos meus chumbaram em época normal e voltaram a fazer o de recurso).

Não me sinto satisfeito porque "deixei" 4 pessoas para trás. Qualquer explicando meu que chumbe deixa-me um certo amargo na boca (acreditem que sim...). Mas no meio da polémica toda que se gerou, chego à conclusão que se calhar os meus explicandos até sabem alguma coisa de Econometria. Porque podem dizer o que quiserem dos trabalhos. Até podem dizer que sou eu que os faço. Mas em relação aos testes ainda não me consigo mascarar. As estatísticas valem o que valem. Mas valem alguma coisa. E pode ser que algum dia cortem as asinhas aos grilos...