segunda-feira, julho 21, 2008

Aventuras e desventuras (?!?) na Grécia

O objectivo deste post é como que fazer uma passagem rápida (ou não) e divertida (isso sim) sobre alguns episódios que se passaram connosco na Grécia. Foi uma viagem muito divertida, mesmo quando se tratava de trabalho.

Tudo começou dentro do avião. A Carlita nunca tinha andado de avião, e de certeza que não se vai esquecer. Foi muito divertido. Logo à saída de Portugal, começaram as baboseiras do costume. Enfim, coisas de irmãos! O ambiente ia divertido, até que servem o almoço (no segundo voo). E, pasme-se: salmão com favas. Para a Carla foi excelente... principalmente porque ela não gosta de uma coisa nem de outra! Resultado: comeu pão... E eu, no meio da minha refeição, só parti a faca de plástico que foi parar... directamente ao prato do companheiro do lado...

Depois chegámos à Grécia. Estavam, às 21h30, 30 graus (e às 8 da manhã a temperatura já devia rondar isso também)... Apanhámos um táxi e vimos como conduzem os gregos... completamente loucos! Duplos traços contínuos... nada. Aliás, parece-me que não sabem andar nas suas faixas. Quanto mais ao meio ou até mais encostados à esquerda (sim, não me enganei), melhor...

Demos depois conta com a maneira esquisita de falar (e escrever) dos gregos. Vi escrito Chania, Xania e Hania... Mas lê-se Rrrrrrrrrrrrânia... (sim, acentuado no erre, parece que vão escarrar...).

Chegámos ao hotel e estivemos meia-hora à espera de alguém na recepção. E lá continuaríamos hoje, se não tivessemos ido à procura da recepcionista (que é, ao mesmo tempo, a dona do hotel). Parecia que estava completamente grogue... Cambaleava (afinal ela andava mesmo assim), falava arrastado (idem) e até gozava com os clientes (principalmente de olhos em bico).

Este foi o nosso primeiro dia. No dia a seguir (ou depois, não sei), os porcos tinham bolotas no nariz... houve um terramoto que matou uma pessoa na Grécia (a sério) com um aviso de tsunami (a sério), mas que não nos afectou (nem demos por isso). O que demos por isso foi pela água fria da Grécia. Enganaram-nos... Disseram-nos que a água estava a 23 graus, mas isso era a temperatura da piscina (eu não acredito, acho que estava mais). A da praia estava melhor!

Aquela praia fantástica, mas onde eu tinha que tomar banho de chinelos... Gozam? Pois, eu não... os meus pés estavam confortáveis, que o solo da praia é de calhaus (e alguns uiui... autênticas bombas atómicas!). Inventámos um novo desporto na Grécia, que os estrangeiros (nós não, somos portugueses!) copiaram: pegar numa pedra, atirar ao ar, e fazer com que uma outra lhe acerte. E chegámos à conclusão que o pessoal lá de casa (pais, manos, mulheres e filhos) eram suficientes para colocar mais gente naquela praia que as que lá estavam. Tirando o último dia em que estavam 20 pessoas na praia (vejam lá o exagero!!!), nunca estiveram mais do que 12 pessoas ao mesmo tempo lá... contando connosco!

Nesse dia fomos às compras. E comprámos o PIOR pão de forma que alguma vez existiu. A verdade é que desapareceu todo (umas vezes para o papão cinzento), mas era detestável. O que devia ser mesmo bom era o ice tea! 8,68€ por uma garrafa de litro e meio... Vá-se lá saber porque é que continuava lá na prateleira no final da semana!

Fomos também jantar fora... comemos uma pizza e uma massa que dava pelo menos para mais 1 pessoa (o Vitor, connosco, não passava fome naquela refeição). Ainda nos ofereceram uma bola de gelado a cada um e um frasco de aguardente, do qual bebemos um copo, o suficiente para vermos a "lua que vai tão alta..."

Já no almoço, no primeiro que fizemos na Grécia, estávamos sentados à mesa e sentam-se três personagens ao nosso lado. No meio de 200 pessoas... 3 portugueses juntam-se a mais dois!

E assim se passou o meu dia de anos...

No dia seguinte, era o dia da minha apresentação do poster. Mas quem deu show foi a Carla, a tocar no piano. Sim, na Grécia há pianos. Vão para lá de barco, de certeza... Por isso é que aquele estava todo molhado! Também, qual foi a ideia de o colocarem debaixo de um ar condicionado?!? Isso é porem um ar condicionado num quarto que aos 16 graus devia deitar fresco a 26... Nesse dia servi também de recepcionista. Ou pelo menos devo ter cara disso, várias pessoas que me perguntaram onde era a conferência...

Na minha apresentação do poster, acabei por distribuir cópias do meu paper, que vai, pelo menos, para 3 continentes diferentes... Um japonês levou uma cópia, um australiano outra, um polaco e um italiano mais uma. Vim com outra para casa e ficou ainda lá outra... estou esperançado que tenha sido um mexicano ou coisa assim do género, para poder viajar parte de mim para outro continente...

De resto Kolymbari é uma aldeia pacata. Há chaves nas portas; cheira mal na rua (principalmente na descida que tínhamos de fazer todos os dias...), havia um cão que não gstava de mim, tem bichos irritantes que passam todo o dia a fazer barulho... e tem um sol desgraçado, que só as burkas conseguem parar... Mas foi muito divertido!

Este é um post grande, mas cheio de coisas divertidas. Mais dois posts sobre a Grécia vão aparecer. Um em que eu e a Carla vamos falar, separadamente, da nossa experiência. Outro em que mostraremos as fotografias que tirámos. Algumas delas simplesmente divinais. Do melhor que já vi até hoje...

11 comentários:

Dogus disse...

Para além do prazer de ver a mulher e o filho (que saudades que tinha deles...), já tive outros três prazeres:
1 - Ver televisão (na Grécia vi bocados de 2 jogos de basket e um de futebol... o resto não se percebia nada!);
2 - Dormir num quarto fresco (meus amigos, tapei-me com um lençol! Nunca pensei dizer que Évora fosse fresco...);
3 - Tomar um duche fresco E com pressão!

Dogus disse...

É verdade, esqueci-me de uma aventura memorável: invetámos um verbo que serve para tudo!!! ESBAMIFRAR!

Carla Isabel disse...

ESBAMIFRAR :D

Eng. ERASER disse...

estou aqui a ESBAMIFRAR-me todinho de inveja...

cutchie + esfomeadito disse...

Curioso...

em Arraiolos, também se esbamifrafa!!!

Dogus disse...

Isso não existe: ou é o presente e fica "também se esbamifra" ou então é passado e fica "também se esbamifrava". Vou propor a entrada deste verbo para o novo acordo ortográfico. É que isto serve mesmo para todo! Vocês nem imaginam...

Eng. ERASER disse...

vou esbamifrar-me para casa neste preciso momento...

depois vou esbamifrar um belo de um banho e a segur esbamifrar um belo de um jantar...

realmente este verbo serve pra muita coisa...

Post Script- Paulo, que tal esbamifarmos um Marco... do correio, claro :p

João Paulo Mavioso e Claudia Bessa disse...

Viva!
Como se costuma dizer,não á nada como o nosso país...


;

malmequers disse...

Grande aventura...

Carla Isabel disse...

Nem vou comentar -.-
CTT! Grrrr

Angelina disse...

Realmente vocês deixaram-me esbamifrada, ou lá o que é isso!
Gostei de os encontrar.
Beijinhos